TESTEMUNHAR

Comentário do dia: São Rafael Arnaiz Baron (1911-1938)
Monge trapista espanhol 
Escritos espirituais, 1938/04/03

Garoto2Cruz

«Quem der testemunho de Mim diante dos homens, o Filho do homem dará testemunho dele diante dos anjos»

Pego hoje na pena para que as minhas palavras, estampando-se na folha em branco, sirvam para louvar perpetuamente o Deus bendito, autor da minha vida, da minha alma, do meu coração. Gostaria que todo o universo, com os planetas, todos os astros e os incomensuráveis sistemas estelares, fosse uma enorme extensão, polida e brilhante, onde eu pudesse escrever o nome de Deus. Gostaria que minha voz fosse mais potente que mil trovões, mais forte do que o bramido do mar, mais terrível que o estrondo dos vulcões, apenas para dizer: Deus! Gostaria que o meu coração fosse tão grande quanto o céu, puro como o dos anjos, simples como o da pomba (Mt 10,16), para nele colocar Deus! Mas, uma vez que toda esta grandeza com que sonhas não pode tornar-se realidade, contenta-te com o pouco e contido nada que és, meu irmão Rafael, porque o próprio nada deve satisfazer-te. […]

Porquê calar-me? Porquê escondê-lo? Porque não gritar ao mundo e publicar aos quatro ventos as maravilhas de Deus? Porque não dizer às pessoas e a todos os que querem ouvir: vedes aquilo que sou? Vedes o que fui? Vedes a minha miséria rastejando na lama? Pois pouco importa; maravilhai-vos: apesar de tudo isso, tenho Deus. Deus é meu amigo! Que o solo se afunde, e que o mar seque de espanto! Deus ama-me, a mim, com um tal amor que, se o mundo inteiro o entendesse, todas as criaturas se tornariam loucas e bradariam de assombro. E mesmo assim, seria pouco. Deus ama-me tanto, que nem os anjos o entendem!
A misericórdia de Deus é grande! Amar-me, a mim; ser meu amigo, meu irmão, meu pai, meu mestre. Ser Deus, e eu, ser o que sou! […] Como não enlouquecer; como é possível viver, comer, dormir, falar e lidar com as pessoas? […] Como é isso possível, Senhor! Eu sei; tu explicaste-me: é o milagre de tua graça.

MENTIRA E VERDADE

Da mentira do relativismo, temos de expor a verdade clarividente do evangelho de nosso Salvador

Por Edson Sampel

verdade-mentira

No Dia Internacional da Mentira, 1.º de abril, professamos a maior verdade de todos os tempos: a ressurreição de Jesus Cristo, a Páscoa. Um modernismo destruidor, baseado no agnosticismo, propugna uma visão de mundo sem Deus. A partir desta falácia mentirosa, ou “segunda realidade”, para empregar uma expressão a gosto dalguns filósofos cristãos, tudo o mais na vida se baseia na mentira ou nas meias-verdades, que também são mentiras.

Jesus é o caminho, a verdade e a vida (Jo 14, 6). Temos de acatar obsequiosamente a  doutrina de Jesus tal como ela é, sem impregná-la de inverdades. Assim, da mentira da salvação independentemente da Igreja católica, temos de reiterar a verdade de que fora da Igreja católica, ou sem alguma relação com ela, não há salvação; da mentira das heresias, temos de reforçar a verdade da fé correta, salvaguardada principalmente pelo papa; da mentira da inexistência do diabo, temos de blasonar a verdade da atuação maléfica dos demônios no mundo; da mentira do homossexualismo, temos de apresentar de modo indefesso a verdade do amor heterossexual, entre um homem e uma mulher; da mentira do direito da mulher de dispor de seu corpo, temos de inculcar a verdade da autonomia biológica e existencial do nascituro; da mentira do prazer pornográfico, temos de reintroduzir a verdade de que o sexo deve ser praticado somente no matrimônio; enfim, da mentira do relativismo, temos de expor a verdade clarividente do evangelho de nosso Salvador.

Talvez todo dia 1.º de abril seja mesmo uma oportunidade para identificarmos as mentiras ao nosso redor e cambiá-las pelas verdades que, às vezes doem, mas libertam, conforme nos ensinou Jesus: “A verdade vos libertará” (Jo 8,32).

Edson Luiz Sampel é doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, do Vaticano e professor da Escola Dominicana de Teologia (EDT).

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com

PENSADOR QUE INCENTIVOU A DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA VIRA ÍCONE ENTRE JOVENS CATÓLICOS BRASILEIROS

Fonte: AciDigital: http://acidigital.com/noticia.php?id=23922

ppcamiseta190712

Para promover o intelectual católico, autor de 80 livros e inventor da teoria econômica inspirada na Doutrina Social da Igreja, o Distributivismo o grupo Sociedade Chesterton Brasil (www.chestertonbrasil.org) descobriu um criativa forma: inspirando-se na cultura pop plasmaram a imagem do pensador inglês G. K. Chesterton (1874-1936) em camisetas ao estilo daquelas feitas com a efígie do Che Guevara, que já é um êxito entre os jovens do Brasil e de outros países.

Chesterton foi um agnóstico convertido ao catolicismo, que deixou um legado que recém vem sendo descoberto pelos jovens brasileiros.

"O pouco conhecimento que temos deste autor tão importante provavelmente se dá pelas poucas traduções de suas obras para o português. Pensamos em torná-lo mais acessível usando as camisetas!",

conta o jovem bibliotecário, Diego da Silva, editor do site www.chestertonbrasil.org

As camisetas, nas cores vermelha e branca, são estampadas com o rosto de Chesterton e com o nome dele dividido: o Che é separado de todo resto, uma forma divertida e de referência ao revolucionário argentino, o controverso Che Guevara.

“Chesterton tem ideias que têm a ver comigo. Li Ortodoxia, seu livro mais famoso e gostei de cara! Não entendo como ele pode ser tão desconhecido”,

conta a jovem estudante de Engenharia da Automação, Karine Oliveira de Souza, uma apoiadora da Sociedade Chesterton Brasil.

As camisetas custam R$25,00 mais o custo do frete e são vendidas pela internet, por e-mail (camisas@chestertonbrasil.org), e já atraem fãs de Chesterton de outros países. Com a iniciativa os colaboradores da Sociedade Chesterton Brasil visam promover o pensador católico no país de forma a gerar maior interesse por sua figura, especialmente entre os jovens. 

“Criamos uma fan page no Facebook (www.facebook.com/camisetaschesterton) para divulgar as camisetas junto à geração Y e percebemos que o que poderia ser apenas uma irreverência tem feito os jovens procurar mais sobre Chesterton e descobrir que vale a pena conservar os valores que fundaram nossa sociedade!”,

afirma a jovem administradora Debora Dee, que apoia a iniciativa.

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com

A TV SHALOM ESTÁ CHEGANDO!!!

A TV Shalom está chegando! É um grande projeto de evangelização e de formação que a Comunidade Católica Shalom está preparando que, por enquanto, está operando em caráter experimental. Rezemos por este projeto e divulguemos!

TV Shalom

 

ASSISTA AQUI!

Grande abraço!

Shalom!!!
CARLOS LOPES
Blog: https://carloslopesshalom.wordpress.com/
Facebook: http://www.facebook.com/carloslopes.shalom
MSN: carloslopes.shalom@hotmail.com

APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA DIGITAL “ALETEIA” NO VATICANO

No congresso de novos evangelizadores

20/10/2011 – Apresentação da nova plataforma digital Aleteia, realizada pelos seus diretores, Jesús Colina e Guillaume Anselin, no primeiro encontro internacional de novos evangelizadores, organizado pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização no Vaticano.

 ScreenShot026 ScreenShot025

Se vocês têm de cozinhar algo especial para os seus convidados, onde procuram a receita? Se querem saber quando viveu Michelangelo e admirar suas obras, onde buscam? Acho que todos os presentes dariam a mesma resposta: na internet.

A internet se tornou o lugar das respostas às perguntas das pessoas, inclusive às perguntas relacionadas à fé e ao sentido da vida: quem é Deus? Existe vida depois da morte? Por que a Igreja? Como se reza?

As pessoas procuram respostas também para estas perguntas na internet. E o que encontram? De tudo?

Esta é a nova expressão do relativismo. Quem busca a verdade hoje se perde neste instrumento de busca no qual a internet se converteu. Com frequência, grupos ideológicos e inclusive seitas, graças a meios técnicos e financeiros, conseguem ter uma visibilidade superior à da Igreja Católica nos instrumentos de busca.

Vocês sabem qual é o grande desafio lançado pelo pontificado de Bento XVI: a verdade existe e tem um nome, inclusive um rosto: o de Cristo.

Estamos verdadeiramente frente a uma questão central para a nova evangelização. A nova evangelização hoje passa pela internet – obviamente, não só por isso.

E o desafio do relativismo pode ser enfrentado oferecendo respostas que sejam claras, documentadas, precisas, próximas das pessoas, vividas e sobretudo que sejam verdadeiras, que reflitam fielmente o magistério da Igreja. Respostas também experimentadas, multimídia, com um testemunho de vida, uma obra de arte, uma música…

Hoje, graças a Deus, há muitas iniciativas de católicos, entre os quais se encontram muitos de vocês, que estão evangelizando na rede. Nestes anos, nasceram muitos sites e a Santa Sé se tornou um ponto de referência, com novas iniciativas multimídia; há sites estupendos, grupos extremamente dinâmicos no Facebook.

O que falta para que todos estes esforços cheguem aos primeiros lugares nos instrumentos de busca? Devemos criar sinergias, trabalhar em equipe, compartilhar o melhor que os católicos oferecem na rede. Não devemos substituir quem já está na rede, mas federar-nos, apoiar-nos, oferecer conteúdos e recursos: criar redes na rede.

Este é o serviço que hoje queremos lhes apresentar: uma plataforma que pretende promover, dar visibilidade, agregar o melhor que os católicos estão produzindo na internet.

E queremos fazer isso a partir de um formato que é tão antigo como o ser humano: desde que vocês têm memória, vocês têm feito perguntas e têm buscado respostas. Se vocês têm filhos, sabem, por experiência, que podem enlouquecê-los com suas perguntas, às quais às vezes não sabem responder. O mesmo acontece com quem busca Deus.

Este é o serviço que Aleteia (“a verdade”, em grego) quer oferecer: responder de maneira clara, documentada, próxima das pessoas, às suas perguntas de fé e de vida, reunindo o melhor que se pode encontrar na rede.

Estamos muito agradecidos ao Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, por ter nos dado a oportunidade de apresentar-lhes esta iniciativa, para que vocês sejam partícipes, contribuintes e beneficiários. Sim, porque estes conteúdos, estas respostas em diferentes formatos, poderão viajar através das suas plataformas e iniciativas da nova evangelização na internet. Aleteia começa a partir de hoje, com vocês.

Vocês já tentaram procurar recentemente no Google… “quem é Jesus?”, “quem é Deus?” ou inclusive “Deus me ama?”?

Podem ver os resultados por vocês mesmos: frequentemente, com muita frequência, aliás, não aparece nenhum site católico, nas dez primeiras ocorrências.

Às vezes, a pessoa quer encontrar na internet um site de referência, para compreender a fé católica e, por trás disso, uma comunidade aberta com a qual partilhar coisas.

Aleteia nasce desta ideia. Dizer a beleza da fé católica e propor a cada um falar disso a partir de um conteúdo fiável.

O Santo Padre nos convida a evangelizar com criatividade o continente digital, estas ruas, estas avenidas virtuais, estes novos ágoras, e ser testemunhas autêrnticas e verdadeiras.

Então, o que é Aleteia? Aleteia é uma plataforma de perguntas e respostas sobre a fé, a vida e a sociedade.

O objetivo é simples: produzir as respostas mais completas possíveis às perguntas que as pessoas fazem sobre o conteúdo da nossa fé, sobre a atualidade, a espiritualidade, a vida de oração, a ciência, a cultura e outros temas, com a ajuda de jornalistas experientes e especialistas nestas questões. Todos os dias, em Aleteia, responderemos às perguntas que os membros fizerem.

Trabalhar com os comunicadores católicos, para selecionar as melhores fontes disponíveis entre os nossos colegas e propor à comunidade Aleteia o melhor da web católica multimídia.

Aproveitar estes conteúdos de qualidade para lançar uma conversão e fazer de Aleteia não somente um lugar de saber, mas um lugar de troca, de partilha, de transmissão. Uma catequese a céu aberto, para o continente digital.

Hoje é um dia especial. Agora, preparamos para vocês um pequeno vídeo para apresentar-lhes o projeto Aleteia.

[O conteúdo do vídeo pode ser visto em www.aleteia.org]

Aleteia é, em primeiro lugar e antes de mais nada, um projeto de colaboração. Com vocês, que estão envolvidos na nova evangelização, nas comunidades sociais, é com quem nós vamos construir juntos Aleteia.

Você é sacerdote, educador, responsável da área de comunicação de uma diocese ou de um movimento: nós vamos lhes dar estes conteúdos e serviços para alimentar seu site ou sua ação concreta. Conteúdos, vídeos, fichas práticas e ainda mais, graças ao Programa Mídia de Aleteia, que será lançado em breve.

Você é jornalista ou blogger: você tem alguma contribuição para oferecer sobre um tema de fé? Seja sócio, porque Aleteia existe para dar visibilidade a todos os que informam, ao serviço do Evangelho.

Você é fã da internet e apaixonado pelos debates de fé? Seja membro de Aleteia, seja moderador voluntário, torne-se community manager, e lancemos o debate juntos na rede, com todos os buscadores da verdade.

Uma última coisa: se nós nos reunimos estes dias aqui ao redor de São Pedro, é para encontrar soluções novas para anunciar a este mundo a Boa Nova e propor a nossa fé nas nossas sociedades modernas.

Aleteia é uma proposta nova, comunitária, cotidiana, positiva, para o mundo digital, mas Aleteia não pode se desenvolver sem vocês.

Por isso, nos próximos dias, vocês receberão um e-mail para que possam expressar sua opinião sobre esta primeira versão do site, e para que nós possamos melhorá-lo a partir das suas ideias.

Com vocês, nós construiremos a comunidade de buscadores da verdade!

Obrigado pela atenção.

Jesús Colina e Guillaume Anselin

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com

ATAS DO MARTÍRIO DE SÃO JUSTINO E DOS SEUS COMPANHEIROS

Actas do Martírio de São Justino e dos seus companheiros (ano 163); PG 6, 1565-1572
Antologia Litúrgica do Primeiro Milénio, trad. de José de Leão Cordeiro, SNL, Fátima, 2004)

 Justino2

«O Espírito Santo vos ensinará, no momento próprio, o que deveis dizer»

Aqueles homens santos foram presos e levados ao prefeito de Roma, chamado Rústico. Estando eles diante do tribunal, o prefeito Rústico disse a Justino […]: «Que doutrina professas?» Justino disse: «Procurei conhecer todas as doutrinas, mas acabei por abraçar a doutrina verdadeira dos cristãos». […] O prefeito Rústico inquiriu: «Que verdade é essa?» Justino explicou: «Adoramos o Deus dos cristãos, a quem consideramos como o único Criador, desde o princípio, e autor de toda a Criação, das coisas visíveis e invisíveis, e o Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, de Quem foi anunciado pelos profetas que viria ao género humano como mensageiro da Salvação e Mestre da boa doutrina. E eu, porque sou homem e nada mais, considero insignificante tudo o que digo para exprimir a Sua divindade infinita, mas reconheço o valor das profecias […] e sei que eram inspirados por Deus os profetas que vaticinaram a Sua vinda ao meio dos homens».

Rústico perguntou: «Onde vos reunis? […] Diz-me […] em que lugar juntas os teus discípulos». Justino respondeu: «Eu vivo em casa de um certo Martinho, nos banhos de Timiotino. […] Ali, se alguém queria ir ver-me, comunicava as palavras da verdade». Rústico perguntou: «Portanto, tu és cristão?» Justino confirmou: «Sim, sou cristão». O prefeito Rústico perguntou a Caritão: «Diz-me tu agora, Caritão, também és cristão?» Caritão respondeu: «Sou cristão por graça de Deus». […] Rústico perguntou a Evelpisto: «E tu, de quem és, Evelpisto?» Evelpisto, escravo de César, respondeu: «Também sou cristão, libertado por Cristo, e por graça de Cristo participo da mesma esperança que estes». […]

O prefeito Rústico perguntou: «Foi Justino que vos fez cristãos?» Hierax respondeu: «Eu sou cristão há muito tempo e cristão continuarei a ser». E Peão, pondo-se de pé, disse: «Também eu sou cristão». […] Evelpisto disse: «Eu gostava de ouvir os discursos de Justino, mas a ser cristão aprendi-o de meus pais». […] O prefeito Rústico disse a Liberiano: «E tu, que dizes? Também és cristão? Também tu não tens religião?» Liberiano respondeu: «Também eu sou cristão e, quanto à minha religião, só adoro o Deus verdadeiro».

O prefeito disse a Justino: «Ouve, tu que és tido por sábio e julgas conhecer a verdadeira doutrina: se fores flagelado e decapitado, estás convencido de que subirás ao Céu?» Justino respondeu: «Espero entrar naquela morada, se tiver de sofrer o que dizes, pois sei que a todos os que viverem santamente lhes está reservada a recompensa de Deus até ao fim dos séculos». O prefeito Rústico perguntou: «Então tu supões que hás-de subir ao Céu para receber algum prémio em retribuição?» Justino disse: «Não suponho, sei-o com toda a certeza».

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com