ÉDITO DE MILÃO

Edito de Milão

Origem

Edictum Mediolanense

Criado: 313
Ratificado: 313
Signatários: Constantino I, Licínio
Propósito: Legitimar o laicismo em Roma

 

O Édito de Milão (313 d.C.), também referenciado como Édito da Tolerância, declarava que o Império Romano seria neutro em relação ao credo religioso, acabando oficialmente com toda perseguição sancionada oficialmente, especialmente do Cristianismo. O édito foi emitido pelo tetrarca ocidental Constantino I, o grande, e por Licínio, o tetrarca Oriental.

A aplicação do Édito fez devolver os lugares de culto e as propriedades que tinham sido confiscadas aos cristãos e vendidas em hasta pública: "… o mesmo será devolvido aos cristãos sem pagamento de qualquer indenização e sem qualquer fraude ou decepção…"

Deu ao cristianismo (e a todas as outras religiões) o estatuto de legitimidade, comparável com o paganismo e com efeito desestabeleceu o paganismo como a religião oficial do império romano e dos seus exércitos.

Na tentativa de consolidar a totalidade do Império Romano sob o seu domínio, Licínio em breve marchou contra Constantino I. Como parte do seu esforço de ganhar a lealdade do seu exército, Licínio dispensou o exército e o serviço civil da política de tolerância do Édito de Milão, permitindo-lhes a expulsão dos cristãos. Alguns cristãos perderam consequentemente propriedades e alguns a vida.

No final, por volta de 324 d.C., Constantino ganhou o domínio de todo o Império e ordenou a execução de Licínio, por traição.

Texto:

Édito de Milão, março de 313.[1]

"Nós, Constantino e Licínio, Imperadores, encontrando-nos em Milão para conferenciar a respeito do bem e da segurança do império, decidimos que, entre tantas coisas benéficas à comunidade, o culto divino deve ser a nossa primeira e principal preocupação. Pareceu-nos justo que todos, os cristãos inclusive, gozem da liberdade de seguir o culto e a religião de sua preferência. Assim qualquer divindade que no céu mora ser-nos-á propícia a nós e a todos nossos súditos. Decretamos, portanto, que não, obstante a existência de anteriores instruções relativas aos cristãos, os que optarem pela religião de Cristo sejam autorizados a abraçá-las sem estorvo ou empecilho, e que ninguém absolutamente os impeça ou moleste… . Observai outrossim, que também todos os demais terão garantia a livre e irrestrita prática de suas respectivas religiões, pois está de acordo com a estrutura estatal e com a paz vigente que asseguremos a cada cidadão a liberdade de culto segundo sua consciência e eleição; não pretendemos negar a consideração que merecem as religiões e seus adeptos. Outrossim, com referência aos cristãos, ampliando normas estabelecidas já sobre os lugares de seus cultos, é-nos grato ordenar, pela presente, que todos que compraram esses locais os restituam aos cristãos sem qualquer pretensão a pagamento… [as igrejas recebidas como donativo e os demais que antigamente pertenciam aos cristãos deviam ser devolvidos. Os proprietários, porém, podiam requerer compensação.]
Use-se da máxima diligência no cumprimento das ordenanças a favor dos cristãos e obedeça-se a esta lei com presteza, para se possibilitar a realização de nosso propósito de instaurar a tranquilidade pública. Assim continue o favor divino, já experimentado em empreendimentos momentosíssimos, outorgando-nos o sucesso, garantia do bem comum."

Referências:↑ Lactâncio, De mort. persec. XLVIII
Bibliografia: Documents of the Christian Church (2nd. ed.). Oxford University Press, 1963. pp. 44-45.

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com

BÍBLIA SAGRADA E CRUCIFIXO ESTÃO FORA DO GABINETE DA PRESIDENTE DILMA!!!

Bíblia

ARTIGO 1: FOLHA DE SÃO PAULO

Bíblia e crucifixo são retirados do gabinete de Dilma no Planalto

DE BRASÍLIA

Em sua primeira semana, Dilma Rousseff fez mudanças em seu gabinete. Substituiu um computador de mesa por um laptop e retirou a Bíblia da mesa e o crucifixo da parede.

Durante a campanha eleitoral, a então candidata se declarou católica e foi atacada pelos adversários sob a acusação de ter mudado suas posições religiosas.

A presidente também trocou móveis para deixar o ambiente "mais confortável". Os estofados coral, usados no Palácio do Catete no governo Vargas, foram substituídos por poltronas e um sofá da linha Navona, do arquiteto Sergio Rodrigues.

Dilma começou a trabalhar às 9h30. O primeiro compromisso é com Helena Chagas (Comunicação Social) para se informar; a seguir, com o chefe de gabinete, Gilles Azevedo; depois com Antonio Palocci (Casa Civil).

A presidente não tolera atrasos. Pede objetividade e não gosta de expressões como "eu acho". Apesar do estilo rígido, um interlocutor que acompanhou os primeiros dias de Lula no poder diz que a sensação é de que Dilma está "mais à vontade".

No período inicial, uma semelhança entre eles: Lula priorizou a agenda interna. Dilma faz o mesmo ao ter o trabalho dominado por reuniões com ministros.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/856996-biblia-e-crucifixo-sao-retirados-do-gabinete-de-dilma-no-planalto.shtml

____________________________________________________________

 

ARTIGO 2: BLOG DA DILMA
Dilma Rousseff nega ter mandado retirar crucifixo e Bíblia do gabinete presidencial

A assessoria da presidenta Dilma divulgou, às 14:54 de domingo, 9 de janeiro, esclarecimentos sobre notícias de que teriam sido retirados do gabinete presidencial um crucifixo e uma Bíblia. Segundo a Secretaria de Comunicação Social (Secom), o crucifixo teve que ser devolvido ao dono, o ex-presidente Lula, e a Bíblia continua onde sempre esteve, “na sala contígua ao gabinete, em cima de uma mesa”.

Nota oficial:

“Jornais, revistas e sites na rede mundial de computadores divulgaram algumas notícias sobre a primeira semana de trabalho da presidenta Dilma Rousseff que merecem esclarecimentos:

1 – Não houve a retirada do crucifixo do gabinete presidencial. A peça pertencia ao ex-presidente Lula que a recebeu de um artista no início do governo. É de origem portuguesa.

2 – Ao contrário daquilo que afirmaram na mídia, não houve a retirada do exemplar da Bíblia de seu gabinete. Ela [a Bíblia] permanece na sala contígua ao gabinete, em cima de uma mesa – onde por sinal a presidenta já encontrou ao chegar ao Palácio do Planalto.

3 – Embora goste de trabalhar com laptop, a presidenta não mudou o computador da mesa de trabalho. Continua sendo um desktop.”

 

COMENTÁRIOS:

Miranda Santos:
10 de janeiro de 2011 às 0:14

Ora, se a peça pertence à Lula ou ao dono da quintanda, pouco importa. O Fato é que Vossa Excelência não substituiu a peça por outra e não precisa ser letrado para entender o que isso significa.

Senhora Presidente. Ontem à noite, em defesa de Vossa Excelência, me esfolei em brigas e discussões na casa de meu irmão, que fez previsões terríveis sobre o futuro de seu governo, coisa que contestei veementemente. Hoje me deparo com a notícia de que a senhora retirou o CRUCIFICADO da parede e jogou A PALABRA DO CRUCIFICADO na ante-sala do gabinete. Que arrependimento me veio hoje. Porque só esse gesto de Vossa Excelência já o suficiente para atestar o futuro sombrio predito por meu irmão. Porque se com a bênção de Deus, a coisa já anda difícil, imagine o contrário. Todos os reis e imperadores que colocaram Deus no segundo plano, o fizeram para a própria perdição. Se após ler isso, a senhora decidir recolocar outro crucifixo, por favor, não o faça para agradar ao povo, faça por temor a Deus e para garantir o futuro da nação. Se a senhora acha que o Estado é laico, lembre-se que a senhora não é o Estado, apenas o representa.

Sinceramente, não sei mais o que digitar aqui. Estou chocado e ao mesmo tempo arrependido de ter perpetrado uma discussão com meu irmão. Como pode, em menos de 10 dias de governo, a senhora tomar uma atitude dessas. É drásticio!

Fonte: http://blogdadilma.blog.br/2011/01/dilma-rousseff-nega-ter-mandado-retirar-crucifixo-e-biblia-do-gabinete-presidencial.html#comment-31857

____________________________________

 

ARTIGO 3: ESTADO DE MINAS
Dilma retira Bíblia e crucifixo do gabinete, diz jornal

Cedê Silva – Estado de Minas

O bispo Edir Macedo entrou a reboque na fila de cumprimentos à presidente Dilma reservada às autoridades estrangeiras (Ricardo Stuckert / Presidência)

 

Reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo mostra que a presidente Dilma retirou a Bíblia e o crucifixo do gabinete no Palácio do Planalto. O episódio soma-se a uma trajetória de várias mudanças de posição de Dilma em questões religiosas.

A ministra

Em 2007, em sabatina da Folha de S. Paulo, a ministra Dilma disse: "olha, eu acho que tem de haver a descriminalização do aborto". Na mesma entrevista, perguntada se acredita em Deus, declarou: "Eu me equilibro nessa questão: ‘Será que há, será que não há?".

Em abril de 2009, Dilma declarou à revista Marie Claire: "Fui batizada na Igreja Católica, mas não pratico. Mas, olha, balançou o avião, a gente faz uma rezinha”. Na mesma entrevista, disse, sobre o aborto: "Abortar não é fácil para mulher alguma. Duvido que alguém se sinta confortável em fazer um aborto. Agora, isso não pode ser justificativa para que não haja a legalização.”

A candidata

Em maio de 2010, Dilma comparou o aborto a arrancar um dente. Ao sair da Missa dos Excluídos, declarou: "Não é uma questão se eu sou contra ou a favor, é o que eu acho que tem que ser feito. Não acredito que mulher alguma queira abortar. Não acho que ninguém quer arrancar um dente, e ninguém tampouco quer tirar a vida de dentro de si”.

Mas em setembro de 2010, já em plena campanha eleitoral, num debate promovido pela Conferência Nacional dos Bispos no Brasil, Dilma declarou: "O aborto é uma violência contra a mulher. A legislação vigente já prevê os casos em que o aborto é factível e eu não sei se acho que seria necessário ampliar esses casos; não vejo muito sentido".

Em outubro de 2010, quando o papa Bento XVI fez um discurso sobre o aborto, a candidata Dilma disse que "é a crença dele". No mesmo mês, a candidata foi a uma missa na Basílica de Aparecida.

A presidente

Na cerimônia de posse, no dia 1º, o bispo Edir Macedo entrou a reboque na fila de cumprimentos à presidente Dilma reservada às autoridades estrangeiras.

Macedo e sua igreja não usam imagens religiosas, mas são favoráveis à legalização do aborto. Vídeo no YouTube mostra o bispo dizendo: "O que é melhor? Um aborto ou uma criança mendigando, vivendo num lixão? O que é melhor? A Bíblia fala que é melhor a pessoa não ter nascido do que ter nascido e viver o inferno. Eu sou a favor do aborto, sim. E digo isso alto e bom som, com toda a fé do meu coração”.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2011/01/09/interna_politica,202679/dilma-retira-biblia-e-crucifixo-do-gabinete-diz-jornal.shtml

__________________________________________

 

Amigos blogueiros,

Não cabe aqui uma discussão religiosa, teológica, etc, mas, para mim que sou católico, cristão (como é a maioria dos brasileiros), é chocante constatar o desprezo da presidente pelo nosso Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo! Não só em relação à imagem que O representa, mas também às Sagradas Escrituras, que são o próprio Jesus, Verbo de Deus encarnado!

Nós, cristão, temos o direito SIM de criticarmos e repudiarmos esse gesto que demonstra desonestidade por parte da presidente que se disse "católica" ou "cristã", quando estava em risco de perder o segundo turno.

Se isso invalida a sua capacidade de governar? Para mim, católico, invalida SIM! Porque Jesus Cristo é a própria Verdade, e sem Ele tudo está fadado à ruína…

Quanto ao argumento de que vivemos num país laico, isso só é ingerido por ignorantes que não sabem o que é laicismo! Um país laico não proíbe as pessoas de expressarem a sua fé, mas pelo contrário, dá a liberdade de expressãopara todos! Até mesmo para a presidente… Afinal, estamos falando do seu gabinete, seu ambiente de trabalho! Ou será que o presidente Lula foi criticado no seu governo por ter na salao Crucifixo e a Bíblia Sagrada?

Concordo que ela tem o direito de ser atéia, marxista. Porém, não tem o direito de ser desonesta em tempo de eleição!

A retirada do crucifixo e o desprezo à Bíblia Sagrada tem sim implícito, um significado histórico e político.

Aos que não concordam, respeito a sua liberdade. Porém, exijo também respeito à minha liberdade como católico e como eleitor, de repudiar gesto tão infeliz que sinaliza o ateísmo marxista e tempos difíceis para o nosso querido Brasil…

"Sejam nossos filhos como as plantas novas, que crescem na sua juventude; sejam nossas filhas como as colunas angulares esculpidas, como os pilares do templo.
Encham-se os nossos celeiros de frutos variados e abundantes, multipliquem-se aos milhares nossos rebanhos, por miríades cresçam eles em nossos campos; sejam fecundas as nossas novilhas. Não haja brechas em nossos muros, nem ruptura, nem lamentações em nossas praças.
Feliz o povo agraciado com tais bens, feliz o povo cujo Deus é o Senhor." (Sl 143)

CARLOS LOPES

Postado em: https://carloslopesshalom.wordpress.com